30 de mai de 2013

Adoração é estilo de vida pra quem muito é perdoado.


Eu estava meditando naquela passagem de Lucas 7:36, um texto já tão conhecido onde uma mulher discriminada pela sociedade resolve não dar atenção para aquela realidade em sua vida e se aproxima de Jesus, que se fazia presente num jantar na casa de fariseus. Ela lava os pés Dele com suas lágrimas, enxuga-os com os seus cabelos, beija-os e unge-os com perfume. 
Aquela atitude dela não causou tanto espanto para os fariseus, que convidaram Jesus para aquele jantar, quanto à atitude do próprio Jesus em deixar aquela mulher tocá-lo. 
E desse acontecimento o Senhor nos deixa uma lição maravilhosa sobre a verdadeira adoração. E eu entendo queridos, que a adoração genuína parte de uma compreensão, sendo esta de que as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos (Lam.3:22). Quando entendemos que somos pequenos demais e sem valor sem a presença de Jesus, quando reconhecemos que dependemos Dele e que se não fosse sua graça não seríamos quem somos, então adoração à Ele passa a ter um outro valor. 
O valor da atitude daquela mulher estava no perdão de Cristo sobre sua vida e Ele chama a atenção dos fariseus sobre isso ao dizer no verso 47: "Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aqu
ele a quem pouco é perdoado pouco ama."
O que trava o nosso entendimento e nos impede muita vezes de viver à luz da palavra são os conceitos que a sociedade prega. Aquele que tem poder deseja que as pessoas se sintam distantes dele; intocável, isso o faz se sentir mais poderoso. Ser acessível é desvalorizar sua posição, sua imagem porque não tem preço pago por aquilo. Jesus nos mostra o contrário, Ele é totalmente acessível, ama  incondicionalmente e nos dá sempre uma nova chance de refazer o que se quebrou porque já pagou o preço para termos livre acesso a Ele. Enquanto medirmos ou esperarmos que o Senhor aja como nós agimos ou pensamos, estaremos atrofiando nossas experiências com Ele. Nosso Deus de multiforme sabedoria traça linhas contrárias às nossas, e age de maneira que sempre nos causa surpresas fazendo-nos amá-lo cada dia mais.
Sejamos adoradores genuínos, esteja onde estivermos... Muito mais que canção, adorar é render a Ele nossa gratidão a cada instante da nossa vida. 

Adoração é estilo de vida pra quem muito é perdoado.

 Dayana Trindade

28 de mai de 2013

Dayana Trindade - Ministração Congresso de Mulheres

Ministração no Congresso de Mulheres da IENJ , em Joinville-SC, no dia 18/05/2013. Clique abaixo para ouvir!



Vai tudo bem?


A bíblia fala de uma mulher que eu considero uma grande mulher. Uma sunamita rica, casada, sem filhos. Certo dia esta mulher de Suném ofereceu uma refeição ao profeta Eliseu e desde que percebeu que era um homem de Deus. Não apenas oferecia refeições como também lhe preparou um quartinho para repousar sempre que por ali passasse. O profeta com a intenção de retribuir, perguntou a ela: O que podemos fazer por você? Mas ela estava feliz com sua vida, com o que tinha e nada pediu. 
Mesmo assim, Eliseu não ficou satisfeito e ao saber através de Geazi seu servo que aquela mulher não tinha filhos, profetizou e determinou que um filho lhe nascesse. Ora, seu marido já era velho e ela, de primeiro momento, não achou possibilidade alguma de isso acontecer. Mas passado um tempo, ela engravidou.
Certa vez, o menino já grande foi se encontrar com o pai nos ceifeiros e de repente sentiu dores na cabeça e começou a gritar. Levaram ele para sua mãe, até que mais tarde veio a falecer. A partir daí eu peço a sua atenção.
Com o filho morto nos braços ela não entra ­em desespero, não sai gritando e questionando Deus, mas sobe ao quarto do profeta que não se encontrava ali, coloca-o na cama dele e sai a procura de Eliseu. Ela não parou em momento algum no caminho, mas seguiu até chegar ao destino. Ao avistar o profeta, Geazi vem ao seu encontro e, instruído por Eliseu, lhe pergunta se está tudo com ela, com sua família, com seu filho. Imagine o que você de imediato responderia.
Certamente com um filho morto nada poderia estar bem. Mas para nossa surpresa ela diz: 
ESTÁ TUDO BEM! 
Uau! Que equilíbrio, que fé queridos. Chegando perto do homem de Deus, ela se lança em seus pés e o texto então relata que o profeta vai até sua casa, sobe ao quarto e ressuscita o garoto. Eu não sei o que me surpreende mais nesta história, se é o milagre ou a maneira como ela age diante do problema. Na verdade acredito que seu posicionamento diante da situação esta ligado à vitória obtida.
 Quantas vezes somos provados diante de problemas, quando deveríamos mostrar uma postura de fé, de coragem, acabamos cedendo à ansiedade, à preocupação e por instantes parecemos esquecer o tamanho do nosso Deus e a grandeza do seu poder. Ele tem o limite de todas as coisas em suas mãos, ele criou tudo que existe e a bíblia diz que até a chave do inferno e da morte com ele estão. O que poderia impedir o seu agir?
Mas eu creio que Deus espera também ser surpreendido por nós e por nossa confiança em sua provisão, em seu livramento. Sua resposta faz toda a diferença nesse processo de gerar o milagre. Vivemos experiências e experiências, ouvimos falar e falamos sobre o impossível do Senhor, sobre a mensagem da cruz e tantas maravilhas que o nosso Mestre fez, porém, quando nos deparamos com um novo desafio nos sentimos como os discípulos em plena tempestade, desesperados mesmo com Jesus descansando na proa do barco. Se alguém pergunta como estamos, direta ou indiretamente dizemos: "Vai indo!" Com um ar de soldado cansado e desiludido, suspiramos como quem pensa: "Poderia estar melhor!" 
A resposta da sunamita me motiva. A forma que ela sai em busca da vitória me encoraja. Seu filho morto - o filho que ela não pediu, mas que Deus deu - e ela ainda responde: Está tudo bem. Deixou o menino em casa como se ele estivesse apenas dormindo. Ainda que com o coração apertado, afinal, é o coração de uma mãe, mas ela não faz alarde, ela não deixa seu marido doido, também não sai criticando a profecia de Eliseu, cobrando, requerendo alguma coisa, mas ela foi pedir ajuda pra pessoa certa. Determinada, sem olhar para os lados seguiu o seu trajeto. Às vezes corremos para as pessoas erradas, para os meios que não irão resolver absolutamente nada, no máximo quem sabe massagear nossa aflição. Queridos, corramos para a fonte de forças, corramos para os pés do Senhor, aquele que faz abundantemente além do que pedimos e pensamos.
Esta mulher recebeu além, pois quem sabe ainda que sonhado em gerar, sem ser mãe, não chegou a pedir quando teve a oportunidade. O nosso Deus é poderoso, é fiel, é justo, é o único capaz de levantar nossas mãos cansadas, de fortalecer nossos joelhos e de nos trazer paz em meio às guerras. Ele peleja por nós. Tenha pessoas que cubram sua vida em oração, tenha conselheiros, pois na multidão de conselhos há sabedoria. No entanto, tenha sua confiança apenas e inteiramente naquele que é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Diga:
"Sim, com Jesus VAI TUDO BEM!"
Seja edificado com esta palavra, em nome de Jesus.

Passagem: 2Reis 4:8 ao 36

Dayana Trindade

18 de mai de 2013

Cura emocional - Joyce Meyer


Olá Queridos,

Este video é muito bom. Simples e direto, cheio das verdades que todo cristão precisa ouvir (e praticar).
Abraços!